Ainda dá tempo! 

Oi pessoal, tudo bem? Hoje minhas reflexões serão sobre o nosso tempo. Sim, nossas 24 horas.

É bem verdade que muitas vezes tantas horas ainda são poucas diante de tanta coisa pra fazer. Certa vez eu ouvi que temos 8 horas de trabalho, 8 horas de sono e 8 horas de lazer… Na hora eu pensei: Ok, 8 horas de trabalho está certo, 8 horas de sono… mais ou menos (na época eu não era casada e muito menos mãe), mas onde estão minhas 8 horas de lazer? Desde que eu ouvi isso, já se passaram 15 anos e até hoje não cheguei a uma conclusão sobre meu lazer (e hoje, menos ainda sobre minhas horas de sono).

O caso é que não temos tempo pra mais nada, parece que trabalhamos o tempo todo, estamos cansados o tempo todo… Não dormimos bem (sendo pais ou não), comemos besteiras a maior parte do tempo (às vezes não comemos por fome,  mas buscando algo que nos dê prazer rápido).

Comecei a ver o que anda roubando o meu tempo (e de outras pessoas), minha saúde e meu dinheiro. 

Bem, eu não fumo, então não gasto dinheiro com cigarro, mas todos os dias eu comia doces e bolo. Não preciso dizer que além de engordar, joguei dinheiro fora. Dormir, bem… vamos pular essa parte. Hoje eu trabalho fora e de fato são 8 horas de trabalho. 

O caso é que das 8 horas de lazer, pelo menos 3 são gastas no deslocamento casa/trabalho/casa. O que me sobram 5. Dessas 5, 1 hora e meia fica entre acordar,  fazer café e sair… me sobraram 3 h e meia… Dessas eu tenho que ver as coisas da casa,  comida, filhos… claro que não dá tempo!  Então tiro das minhas horas de sono um pouco de tempo pra suprir o resto. 

E nessas poucas horas que sobram, nem sei quantas são gastas na Internet. 

As redes sociais e o whatsapp têm roubado muito o meu e o seu tempo. Percebo que quando estou em uma festa, em uma reunião com os amigos ou qualquer outro local de confraternização, as pessoas mal conversam, passam a maior parte do tempo nos seus retângulos iluminados, postando fotos e curtindo status.

Numa certa reunião, notei que sequer os pais davam atenção à seu filho de 2 anos porque estavam o tempo todo olhando o Facebook e postando fotos, enquanto o melhor estava acontecendo ali mesmo, no mundo real…

Eu tenho que me policiar todos os dias, porque do contrário, meu patrão estaria me pagando pra conversar com meus amigos no zap, e isso não tá certo! 

Meu desafio pra você hoje é: Largue seu telefone e interaja com as pessoas que estão perto de você. Converse, observe, veja a cor do sol no momento do ocaso, faça novos amigos, ria das peripécias de seus filhos.

Vou continuar falando sobre o tempo perdido com outras coisas no próximo post. Acho que esse assunto é muito importante, mas por hoje é só…

Apenas façam isso por hoje: Deixem seus telefones de lado e apenas observem.

Beijos e até a próxima,

Bye, bye!

Anúncios

Se você tem educação, por que não usa?

Oi pessoal, tudo bem?

Já nem acabou o mês das mães e estamos falando de férias… rs.

O post de hoje é dedicado à educação. Sim, mas não aquela que você aprende na escola, mas aquela que aprendemos em casa ou com as outras pessoas.

Sempre observo muito o comportamento das pessoas nas redes sociais. Vou falar mais precisamente do Facebook, porque é que onde eu mais vejo a educação das pessoas. Uma coisa que eu acho extremamente grosseiro são as postagens cheias de palavrão. Uma coisa é num ambiente informal, num papo entre amigos, entre pessoas que são íntimas e próximas, o uso desse tipo de linguagem. Minha família fala muito palavrão. Tenho um primo, em especial, que 90% das suas frases tem palavrão (aliás, palavrões…) São aqueles mais corriqueiros, mas são palavrões.

Isso quando não tem alguém que fica mandando os outros ir pra tudo que é lugar que ele mesmo não gostaria de ir… Sem nenhum motivo!

Mas palavrões não são nada comparados à falta de respeito que se observa no Facebook. Parece que a pessoa se esconde atrás da tela do seu telefone, ou do computador e aí despeja tudo o que tem vontade de falar, mas é claro que se fosse pessoalmente não teria a hombridade de fazê-lo.  Junte-se a isso os compartilhamentos de vídeos de conteúdo explicito, de pessoas agonizando até morrer, coisas que jamais passaria na TV aberta durante o dia por conta da classificação etária. Embora o facebook seja permitido para maiores de 18 anos (quando fiz minha conta era, não sei hoje), tenho várias pessoas no meu hall de amigos que tem 10, 11 anos, ou seja, são crianças. Sendo assim, acredito que muitas das coisas que eu vejo, infelizmente eles também veem, e é certo que não é apropriado. Ainda não sei se é bom ou ruim, mas o vídeo no facebook roda mesmo sem dar play, e isso nos faz ver coisas que jamais veríamos de livre e espontânea vontade. Hoje é inviável eu acessar o Facebook com meu filho de 7 anos ao meu lado. Nunca se sabe o que ele pode ver…

Outra coisa HORRÍVEL é falar mal de outrem… Gente!!!!! Vamos ser ao menos leais e resolver os problemas com a pessoa, no inbox… Todos os dias tem alguém que é perfeito e resolvido se queixando de que o invejoso quer destruir ele… Isso é muito feio! Não use as redes sociais pra resolver seus problemas sentimentais, ou pessoais. Faça como eu, escreva um blog, desabafe em um blog (ou no terapeuta). Não insulte ninguém pelas redes sociais, não dê lição de moral e nem humilhe ninguém pelas redes sociais, não exponha ninguém pelas redes sociais. Isso é cruel, isso é criminoso, isso é desumano. Fazer isso é agir como um covarde. A não ser que você tenha (ou já tenha tido) a coragem de falar pra pessoa, na real e não no virtual.

Devemos nos comportar no facebook (ou em qualquer rede social) como nos comportamos com pessoas que não conhecemos, com educação, com polidez e elegância. E mais, quando não gostar da publicação de alguém, não vai lá afrontar a pessoa não, respeita a opinião dela. Não ofenda quem não pensa como você, apenas respeite e se não der, oculte a publicação e se ainda assim essa publicação for muito ofensiva, denuncie ao facebook. Simples. Coloque sua opinião na sua linha do tempo, e não na linha do tempo daquele que você sabe que não pensa como você. Respeite, considere, trate com carinho e paciência. Afinal, nem todos são tão inteligentes e esclarecidos e tão bem resolvidos.

Ser educado não é favor, é obrigação. Cada um dá o que tem, então, que possamos dar um oásis em palavras para aqueles que estão no deserto da grosseria.

Por enquanto é só.

Um beijo e até a próxima!

Bye bye.

http___signatures.mylivesignature.com_54492_342_146A39A6875AE59B616D9E3B51677F9F